Não culpem a inocência do consumidor, caso Bettina e Empiricus.